Vereadores discutem sobre os problemas na saúde do município

Vereadores discutem sobre os problemas na saúde do município

crédito: Rodrigo Palassi

A crise na saúde pública de Cubatão foi o tema principal da sessão de ontem (05/09) na Câmara. A atuação da secretária municipal de Saúde, Sandra Furquim, foi discutida pelos vereadores, que se dividiram em relação à continuidade ou não da gestora. As críticas ocorrem depois da suspensão do atendimento em algumas unidades básicas de saúde (UBS) da cidade. 
 Aguinaldo Araújo (PDT) afirmou que não se pode responsabilizar a atual secretária de saúde pela crise na pasta. O parlamentar disse que a situação não é fácil, mas acredita no trabalho da gestora. Érika Verçosa (PSDB) ressaltou que não “pediu a cabeça” de Sandra Furquim. A vereadora criticou a politicagem que se faz dessa situação e defendeu que todos deem as mãos para resolver os problemas.
O líder do governo, o vereador Fábio Roxinho (PMDB), foi enfático ao dizer que pediu a substituição da chefe da pasta. Segundo o parlamentar, o fim do contrato com a organização social que administrava as UBS foi um erro de gestão e não um problema financeiro. 
Dr. Anderson Veterinário (PRB) fez coro as críticas do colega parlamentar e comentou que a secretária é uma ótima pessoa, mas falha como técnica. Ele criticou o fato de a gestora não conseguir responder de forma satisfatória pelos problemas na Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (CROSS) em relação a Cubatão. 
Ivan Hildebrando questionou a matéria publicada pelo jornal A Tribuna que menciona que os 15 vereadores pediram a substituição da secretária de saúde. Ele, apesar de criticar o quadro atual, disse que não sugeriu a troca na pasta. 
Toninho Vieira (PSDB) disse que quem sofre com tudo isso é a população. Ele criticou o diretor de Atenção à Saúde, Persio Duarte, que afirmou na imprensa de que os problemas na pasta se devem à greve geral dos servidores municipais, o que teria atrasado os processos licitatórios para a escolha de uma nova organização social para gerenciar os postos de saúde que foram  fechados na semana passada.
Por outro lado, Marcinho (PSB) disse que as críticas precisam ser construtivas. O vereador chamou a atenção para o fim do contrato da Impacto Fisio, empresa responsável pela prestação de atendimento domiciliar na área de fisioterapia. 
Já Lalá (SD) considera a expressão "pedir a cabeça" muito forte. Segundo ele, o que se pede no máximo é a exoneração da titular, a troca de gestor na saúde. O parlamentar afirmou que Sandra  Furquim já falhou quando não soube precisar a data precisa para a inauguração da UBS do Conjunto Mário Covas. 
Ordem do Dia 
O projeto, de autoria do Executivo Municipal, que autoriza a Prefeitura a doar cinco aparelhos de ar-condicionado ao Poder Judiciário foi aprovado pelos vereadores. Os equipamentos já se encontram no local há mais de dez anos, mas não possuíam o termo de doação.
O outro projeto aprovado, de autoria do prefeito Ademário Oliveira, foi o que autoriza o Poder Executivo a firmar convênio com a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor e Defesa do Consumidor (PROCON), com a finalidade de instituir Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor. 
Ambos foram aprovados em primeira discussão e retornam na próxima sessão para nova apreciação.
Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.