Câmara aprova LDO para o exercício 2021

por Michel Carvalho publicado 30/06/2020 19h50, última modificação 30/06/2020 20h56

Os vereadores aprovaram hoje (30/06) o projeto de lei Nº 37/2020, que dispõe sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do município para o exercício de 2021 com emendas elaboradas pela Comissão de Finanças e Orçamento. A Sessão Extraordinária Virtual foi exclusiva para a votação do projeto, que foi aprovado em primeira e segunda discussões.

A LDO define as metas e prioridades do governo, ou seja, as obras e os serviços mais importantes a serem realizados no ano seguinte. Ela estabelece as regras que deverão ser observadas na formulação do Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) para atingir as metas previstas no Plano Plurianual (PPA) na execução das ações. É elaborada pelo Poder Executivo e discutida, votada e aprovada pelo Legislativo.

Para conferir a íntegra do projeto de lei e as respectivas emendas, acesse:
https://www.cubatao.sp.leg.br/processo-legislativo/pauta-das-sessoes-1/arquivos/2020/13a%20EX%20-%2030.06.pdf

Caminhões

Durante a Sessão Extraordinária Virtual, os vereadores discutiram sobre a situação dos caminhoneiros da cidade. “O momento é de que criar um pátio regulamentado ao lado do bairro para que o caminhão não tenha a necessidade de entrar na área residencial”, defendeu Toninho Vieira (Progressistas). O parlamentar criticou a administração municipal por colocar limitadores dentro dos bairros e também pela ideia de transferir os caminhoneiros para a Avenida Plínio de Queiroz, que, no entendimento do vereador, não oferece segurança.

“Acompanhei meu pai na labuta de caminhoneiro por 15 anos”, destacou Rodrigo Alemão (PSDB), que se posicionou a favor da categoria. Ele falou que é preciso garantir um espaço digno e adequado para os caminhoneiros.

“Minha preocupação é com todos os trabalhadores. Os caminhoneiros saem toda a manhã para buscar seu ganha pão”, lembrou Sérgio Calçados (PSB). O parlamentar defendeu que a Câmara se posicione a favor da categoria numa corrente positiva, de modo que não prejudique aqueles que já estão numa situação delicada por conta da atual crise econômica.

“A questão é permitir o caminhão entrar descarregado na cidade. A preocupação é a circulação danificar casas e avenidas. Tudo isso na época foi nos mostrado em relação à altura, porque dependendo disso poderia destruir até fios”, rememorou Ivan Hildebrando (PSB). O vereador defendeu que os caminhoneiros desfrutem de um local seguro e adequado na cidade, de modo que que possam dormir sem a preocupação de ter a carga roubada.