Em reunião com vereadores, Secretária de Saúde promete mais leitos para o Covid-9

por Michel Carvalho publicado 14/05/2020 16h55, última modificação 14/05/2020 17h10
Em reunião com vereadores, Secretária de Saúde promete mais leitos para o Covid-9

Foto: Maiko Santana

Por conta do aumento no número de casos da Covid-19 na cidade, o presidente da Câmara, Fábio Roxinho (MDB), e os vereadores Rodrigo Alemão (PSDB), Jair do Bar (MDB), Dr. Anderson Veterinário (PSDB), Marcinho (PSB), Wilson Pio (PSDB), Sérgio Calçados (PSB) e Ivan Hildebrando (PSB) se reuniram hoje (14), no Anfiteatro do Legislativo, com representantes do Poder Executivo para cobrar um plano estratégico para achatar a curva de contaminação da pandemia em Cubatão. A secretária de Saúde, Denise Filomena Brito, respondeu a uma série de questionamentos dos parlamentares, entre eles, a falta de leitos de UTI na cidade, o destino do recurso repassado pela Câmara à administração municipal, e a queda na adesão ao isolamento social.

Denise explicou que a cidade conta com 35 leitos (25 clínicos e 10 UTIs) exclusivos para o tratamento da Covid-19 no Hospital Municipal de Cubatão. A secretaria informou que em breve a unidade ampliará suas instalações para receber mais leitos, tanto clínicos e de UTI. A gestora fez um apelo para que as pessoas só se encaminhem para o serviço de urgência e emergência quando apresentarem coriza, febre, tosse e falta de ar. Caso contrário, os pacientes devem se dirigir para as unidades básicas de saúde, que continuam funcionando normalmente.

Os parlamentares criticaram o fato de a cidade não receber recursos do governo estadual. Nesta semana, o governador João Doria anunciou a liberação de R$ 30 milhões para a abertura de 350 novos leitos na Baixada Santista, mas Cubatão não está incluída na relação de municípios beneficiados. A região é a segunda mais impactada do Estado pelo novo coronavírus. De acordo com o anúncio, serão 50 novos leitos de UTI e 300 leitos clínicos para o litoral. Os leitos serão abertos nas cidades de Santos, Praia Grande e Itanhaém.

Os vereadores também cobraram o governo municipal por Cubatão não contar com a testagem em massa da Covid-19 via drive thru, como ocorre em outras cidades. Por esse sistema, pessoas com sintomas comuns à doença causada pelo novo coronavírus passam pelo teste rápido. Quando o paciente tem resultado positivo é encaminhado para um exame laboratorial mais minucioso, cujo laudo tem maior precisão e pode ser usado como dado oficial. Por outro lado, a secretária chamou a atenção que essa estratégia pode desmobilizar o isolamento social, uma vez que a pessoa com sinalização negativa acredita que pode voltar a circular normalmente pelos lugares públicos, o que não é verdade. Segundo a gestora, muitos pacientes só confirmam o quadro da Covid-19 no terceiro teste rápido.

Outro assunto debatido pelos parlamentares com a secretaria de Saúde é a queda na adesão dos cubatenses ao isolamento social, principal estratégia para conter a contaminação pelo novo coronavírus. Segundo informações do Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo do Estado, Cubatão apresentou apenas 47% de taxa de isolamento ontem (13). Esse levantamento analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento. Os vereadores pedem que a Prefeitura intensifique as campanhas de conscientização para massificar a adesão dos munícipes à quarentena. A secretária disse que a administração vem utilizando carros de som pelos bairros para sensibilizar a população.

Quando questionada sobre os repasse feitos pelo Legislativo à administração municipal para viabilizar as ações de enfrentamento à Covid-19, Denise comentou que a Prefeitura publica todos os gastos no Portal da Transparência, e segue as recomendações do Tribunal de Contas do Estado para compras referentes ao combate à pandemia. A gestora ainda informou que o governo criou a Comissão de Fiscalização das Ações Voltadas ao Enfrentamento da Covid-19 por meio da portaria 401/20.

Sobre a denúncia de falta de condições de trabalho para os profissionais de saúde da cidade, Denise respondeu que todos os servidores e trabalhadores a serviço da administração receberam e continuam recebendo equipamentos de proteção individual (EPIs). Segundo ela, as equipes que atuam na emergência e urgência recebem kits de EPIs por turno de trabalho.

Ao final da reunião, o presidente da Câmara pediu maior celeridade na adoção de medidas para conter a propagação da pandemia e tratar os infectados pelo novo coronavírus. Ele afirmou que o Legislativo continuará fiscalizando a aplicação dos recursos por parte do governo municipal. Roxinho ainda cobrou um cronograma detalhado de ações para o enfrentamento da Covid-19. Vale ressaltar que a Câmara destinou R$ 6.071.956,00 ao Poder Executivo para combater a pandemia, sendo R$ 2 milhões são referentes à devolução antecipada de restos a pagar e R$ 4.071.956,00 em emendas impositivas dos parlamentares.