Enfrentamento à Covid-19 e retorno dos atendimentos marcam audiência pública

por Michel Carvalho publicado 30/09/2020 17h55, última modificação 30/09/2020 18h33
Enfrentamento à Covid-19 e retorno dos atendimentos marcam audiência pública

Foto: SCS/CMC

A Câmara Municipal de Cubatão realizou hoje (30/09) a Audiência Pública da Saúde referente ao segundo quadrimestre de 2020, em obediência a Lei Complementar N° 141, de 13 de janeiro de 2012. A prestação de contas foi conduzida pelo presidente da Comissão Permanente de Saúde, o vereador Ivan Hildebrando (PSB). Durante a audiência, a secretária da pasta, Eliane Taniolo, respondeu os questionamentos dos vereadores Toninho Vieira (Progressistas) e Marcinho (PSB) e dos representantes do Conselho Municipal de Saúde a respeito dos serviços prestados pela pasta nos meses de maio, junho, julho e agosto deste ano.

O vereador Toninho Vieira (Progressistas) comentou sobre a necessidade de retornar o mais rápido possível as cirurgias eletivas no Hospital de Cubatão e o agendamento de exames, pois há uma grande fila de espera, sem previsão de retorno. A secretária explicou que a decisão da suspensão foi pautada junto com o Comitê Estratégico Municipal da Covid-19. Segundo a gestora, como há uma redução nos casos de coronavírus, o plano de retomada dos atendimentos está em discussão e será dada prioridade aos pacientes com necessidades urgentes”.

Outro problema levantado por Toninho Vieira diz respeito à situação do quinto andar do Hospital, destinado ao tratamento da Covid-19. O parlamentar questiona a ocupação do espaço e se há necessidade de mais recursos para atender os infectados. “Há 20 leitos de UTI e 33 de enfermaria. Como há uma redução nos casos, a ocupação vem diminuindo, porém vamos mantê-lo por segurança, pois ainda há casos de coronavírus e, como não sabemos se há uma nova onda vindo, precisamos manter o que temos. Há uma instabilidade dos casos na nossa cidade, então precisamos de investimento, pois a luta não acabou”, explicou Eliane.

Já o vereador Marcinho (PSB) perguntou sobre a falta de fisioterapia. Devido à pandemia, os atendimentos domiciliares foram reduzidos e, de acordo com o parlamentar, o problema se agrava pela falta de profissionais da área, fazendo com que a fila de espera cresça e a população espere muito tempo pelo serviço. “Foi elaborado um plano de ação e, em outubro, 1059 consultas estarão disponibilizadas, para atender os casos de urgência e diminuir a fila”, comentou a secretária.

Marcinho também questionou sobre a dificuldade dos pacientes de conseguir retorno ao médico após realizar o exame, que era marcado no Hospital de Cubatão e passou a ser marcado nas UBSs. Ele ainda disse que muitas pessoas, que precisam fazer exames em outros municípios, acabam não realizado os procedimentos pela falta de remoção por parte da Prefeitura. “Sobre a marcação dos exames, essa medida foi tomada em conjunto com o Comitê Estratégico Municipal Covid-19, para que evitasse aglomeração. Sobre a falta de motoristas, haverá um concurso público para preenchimento dessas vagas”.

A audiência contou com a presença dos vereadores Jair do Bar (MDB) e Aguinaldo Araújo, membros da Comissão Permanente de Saúde.

Números - Na audiência, foram apresentados os dados referentes aos contratos emergenciais, que seguem o Decreto Municipal Nº 11.199 de 22 de março de 2020, para a aquisição de bens, serviços e insumos destinados ao enfrentamento COVID-19 em Cubatão.

Confira a íntegra da prestação de contas:
https://www.cubatao.sp.leg.br/processo-legislativo/pauta-das-sessoes-1/arquivos/2020/relatorio-saude-2o-quadrimestre-2020-covid